• (51) 3221-9565 / (51) 3279-6595 / (51) 99214-9690

  • Facebook Instagram

Sensibilidade nos Dentes

Dor ao comer ou beber algo quente ou frio. É com esse dilema que convivem milhares de pessoas que sofrem com dentes sensíveis. Elas representam um em cada oito adultos de acordo com uma nova pesquisa publicada no periódico de março do Journal of The American Dental Association. O problema, decorrente do desgaste do esmalte do dente que deixa a dentina – camada que possui prolongamentos do nervo – exposta, foi o foco de atenção de especialistas de instituições como a University of Washington e a Oregon Health and Science University, nos Estados Unidos.

A partir disso, confira oito hábitos que podem deixar seus dentes sensíveis:

  • Recessão gengival
    Mastigação errada e escovação com muita força podem contribuir para a retração da gengiva, que deixa a parte do dente que cobre o nervo – a dentina – exposta.
  • Escovação exagerada
    Além de causar recessão da gengiva, a escovação muito forte provoca desgaste do esmalte, deixando assim, a dentina desprotegida. Para evitar os dentes sensíveis nesse caso, é preciso escovar os dentes com movimentos suaves e curtos, sem pressionar demais a escova – não é a força que vai determinar a limpeza dos dentes.
  • Dentes lascados
    Uma lasquinha no dente já pode ser suficiente para tirar a proteção do esmalte e deixar a dentina exposta, aumentando a sensibilidade. Por isso, evite o hábito de abrir garrafas ou embalagens com a boca. O dente não deve ser usado como ferramenta.
  • Bruxismo
    O hábito de apertar e ranger demais os dentes – bruxismo – provoca desgaste e perda do esmalte. Uma das maiores causas do bruxismo é o estresse, mas é possível evitar os danos que ele provoca nos dentes usando um protetor bucal especial, indicado por um dentista.
  • Enxaguante bucal
    Os enxaguantes bucais com pH ácido podem contribuir para agravar a sensibilidade dos dentes.
  • Alimentos ácidos
    Refrigerantes, frutas cítricas, vinagre e outros alimentos ácidos podem agravar a sensibilidade. Esses alimentos podem acelerar um processo de desmineralização dos dentes, deixando expostas partes dos dentes que são muito sensíveis.
  • Clareamento dental
    Os tratamentos para deixar os dentes mais claros só são perigosos se feitos sem acompanhamento profissional.
  • Alimentos muito frios ou quentes
    Quando a dentina já está exposta e, consequentemente, os nervos dos dentes ficam vulneráveis a qualquer variação brusca de temperatura. O ato de morder ou mastigar um alimento muito frio ou quente provoca alterações repentinas na polpa (nervo), o que causa irritação e dor.
Agende já sua avaliação aqui na OIRS!
Fonte: Minha Vida

Todas as pessoas precisam extrair os sisos?

Os terceiros molares são os últimos dentes que se desenvolvem e aparecem na boca, também chamados de sisos. Normalmente, erupcionam entre 18 e 21 anos. Sua principal função é a mastigação e a trituração dos alimentos.

Em algumas pessoas, esses dentes não nascem porque estão ausentes congenitamente, ou seja, a pessoa não teve a formação deste dente naturalmente. Porém, a maioria das vezes, o dente siso não nasce por falta de espaço nos maxilares, que não apresenta o tamanho necessário para acomodar mais quatro dentes, dois superiores e dois inferiores.

Nem todos os sisos precisam ser extraí­dos. Aqueles que estão na boca em mastigação, sem problemas, devem ser mantidos. Porém a não retirada de um dente siso com indicações de extração pode ocasionar problemas como dor, danos ao dente vizinho (cárie), doença periodontal (pericoronarite), reabsorção dental e até mesmo infecções e inflamações gengivais e ósseas. O desenvolvimento de cistos e tumores a partir dos dentes sisos também pode ocorrer. A remoção deve ser feita assim que o diagnóstico for realizado.

A remoção pode ser realizada no consultório odontológico, com anestesia local, por um cirurgião-dentista. Devem-se tomar alguns cuidados pós-cirurgia.
É fundamental que se faça um controle clí­nico e radiográfico com um cirurgião-dentista para acompanhar o desenvolvimento dos sisos.

Força na escovação

Quando o esmalte é corroído ou quando a gengiva retrai, a dentina fica exposta e ficamos mais vulneráveis a sensações, incluindo a dor.
Esta dor é chamada sensibilidade dental e caracteriza-se pelo desconforto ou dor em um ou mais dentes, principalmente quando se consome alimentos ou bebidas quentes ou frias, quando se inspira ar frio, ou com a pressão sobre a superfície dentária.

Mas o que causa a perda do esmalte dental?

Escovar os dentes com força excessiva e consumir com frequência alimentos e bebidas ácidos são os principais fatores que levam à sensibilidade dos dentes. Além disso, muitos estudos mostraram que alguns cremes dentais, enxaguantes bucais e produtos para branquear os dentes, além de dentes quebrados ou rachados, bulimia e refluxo, também levam a perda do esmalte dental.

Para aliviar o problema, recomenda-se: usar um creme dental especial para dentes sensí­veis, usar uma escova de cerdas macias, ter boa prática de higiene oral e evitar alimentos e bebidas ácidas, como refrigerantes e alimentos cí­tricos.

A Odontologia Integrada RS, através da Dra. Ana Elisa da Silva, especialista em Peridontia, oferece atendimento especializado para o tratamento da sensibilidade dental.

Agende sua consulta

Férias e saúde bucal, saiba como conciliar.

praia

Uma dor de dente não é a melhor lembrança que alguém pode ter quando pensa em passar uma temporada no campo ou numa praia distante. A visita ao dentista, antes de uma viagem prolongada pelo paí­s ou um passeio no exterior, pode evitar esse e outros transtornos, principalmente para quem está sentindo algum desconforto ou sensibilidade excessiva nos dentes ou apresenta histórico recente de cirurgia bucal, tratamento de canal, implante ou tratamentos extensos.

O viajante também não deve esquecer os hábitos de higiene bucal durante o perí­odo de descanso, afinal, quem está de férias é a famí­lia! Os microrganismos responsáveis pela formação de cáries e da doença periodontal continuam em plena atividade.

Em caso de traumas – como quedas e batidas –, o ideal é sempre evitar a automedicação e procurar a ajuda de um profissional. A pessoa deve estancar o sangramento, colocar gelo e, no máximo, tomar um analgésico até ser atendido por um dentista. Sabe-se que cerca de 30% das crianças com dentes de leite, sofrem algum tipo de trauma, que afeta os dentes, principalmente as quedas. A partir dos seis anos, quando a dentição é definitiva, a proporção de traumas cai para 15% e é provocada por quedas e esportes radicais (skate) ou de contato (como basquete e rugbi).

A ida ao dentista, antes de uma viagem prolongada ou ao exterior, pode ser muito útil para os pais de crianças e jovens, que estão prestes a vivenciar a experiência da erupção de um molar. O primeiro molar surge entre os seis e sete anos. Já o terceiro ocorre por volta dos 18 anos e costuma ser o mais doloroso, porque o dente não encontra espaço na boca. O profissional pode dar conselhos sobre como lidar com essa situação.

Os pais também devem ficar atentos a crianças que usam aparelhos ortodônticos removí­veis, pois se elas já costumam perder os aparelhos no dia-a-dia, imagine quando estão em férias? Crianças, jovens e adultos que usam aparelhos ortodônticos fixos podem também receber dicas úteis do dentista para lidar com situações inesperadas. Se a criança está na Disney e um fio do aparelho fixo se solta, pode provocar muito incômodo na gengiva.

Além da escova, da pasta de dentes e do fio dental, o viajante pode levar consigo outros apetrechos para garantir a saúde bucal. Quem tem bruxismo (ato de ranger ou apertar os dentes de forma involuntária) não deve esquecer a placa de mordida em casa. A escova interdental não deve faltar no nécessaire daqueles que precisam de uma higiene especial, como as pessoas com aparelhos ortodônticos fixos.

Fonte: Blog do CIOSP

×
Olá! Como podemos ajudá-lo?
Entre em contato diretamente pelo WhatsApp clicando no botão abaixo ou pelo (51) 99214-9690.