• (51) 3221-9565 / (51) 3279-6595 / (51) 99214-9690

  • Facebook Instagram

Como evitar o mau hálito?

Quem nunca passou pela situação constrangedora de constatar o mau hálito de uma pessoa no meio de uma conversa? A partir daí acaba a concentração e o jeito é encerrar o assunto, oferecer uma bala ou solucionar o problema de vez contando para ela que seu hálito não está exatamente fresco.

De acordo com estudos, 40% da população brasileira é portadora de halitose crônica e 100% de halitose esporádica. E as causas são diversas: estresse, mudança de hábitos alimentares, higiene oral incorreta, ingestão inadequada de água, e por aí vai. O que muitos não sabem é que o mau hálito quase nunca está ligado a problemas do estômago. Temos três válvulas na região do esfíncter gástrico que impedem o retorno dos alimentos e dos gases do estômago de subirem para a boca.

Uma das grandes vilãs da halitose é a saburra lingual – uma massa esbranquiçada, formada por células mortas, restos de alimentos e bactérias, que se acumula na língua. É aí que ocorre a eliminação de um gás a base de enxofre que causa o mau hálito.

A solução para a halitose está nas mãos do dentista em 80% dos casos, quando a causa está ligada à higiene oral deficiente e problemas dentários como gengivite e periodontite. Por outro lado, sempre é possível prevenir o problema, e a boa notícia é que isso pode ser feito tomando bastante água e fazendo exercícios físicos para se livrar do stress.

A pouca ingestão de água faz com que as glândulas salivares não produzam a saliva adequada – líquido responsável pela limpeza da cavidade bucal. É aí que se desenvolve uma doença chamada xerostomia ou hipossalivação – a saliva fica viscosa e permite o maior acúmulo da saburra lingual. Da mesma forma, o estresse libera hormônios do tipo adrenalina e cortisol que inibem o funcionamento das glândulas salivares e aumenta esse problema. Assim, um meio de evitar o mau cheiro na boca é praticar exercícios físicos para baixar o nível de estresse.

Um ponto de atenção válido é o uso de enxaguatórios bucais que contem álcool, já que causam ressecamento e descamação da mucosa, o que também aumenta a saburra lingual.

Confira cinco dicas práticas para evitar o mau hálito:

1. Realize uma boa higiene bucal diariamente não se esquecendo de utilizar o fio dental;
2. Higienize o dorso da língua com a escova ou raspadores de língua;
3. Evite a ingestão de álcool e o fumo;
4. Não ingira alimentos condimentados frequentemente e faça refeições várias vezes ao dia evitando o jejum prolongado;
5. Invista numa odontologia de acompanhamento mantendo a saúde bucal em dia.

E não esqueça: se o mau hálito persistir, visite um especialista! Ele poderá lhe auxiliar a acabar com essa situação constrangedora.

Fonte: Adaptado de Terra Saúde

Sorria mais em 2013!

Muitos afirmam que o ano só começa depois do carnaval. Agora não tem mais desculpas para ir atrás das promessas de início de ano! Você colocou ter um sorriso saudável e bonito como um dos objetivos de 2013? Não?

Então confira algumas razões para colocar essa meta na sua lista de resoluções:

– Fugir do mau hálito: 90% das causas do mau hálito estão na boca. Escovar os dentes e a língua é essencial para manter um bom hálito.

– Mastigar melhor: mastigar bem não quer dizer mastigar muito. A perda de dentes, dentes tortos, sensibilidade nas gengivas, próteses frouxas ou falta de obturações podem ser responsáveis pela má mastigação. A boa mastigação minimiza ou elimina problemas futuros no aparelho digestivo.

– Manter a saúde do corpo: uma boca bem cuidada reflete na saúde de todo o corpo. Uma má mastigação ou mesmo uma mordida errada podem ocasionar desde dores de cabeça até problemas cardíacos.

– Reconquistar a autoestima: manter um sorriso saudável e harmonioso é uma boa maneira de você ficar bem consigo mesmo. Gostando mais de sua aparência, você estará mais seguro para enfrentar a vida.

– Prevenção: prevenir cáries, doenças periodontais e mau hálito evitam problemas futuros no cuidado com os dentes e gastos em longos tratamentos. Um check-up periódico não deixa que os problemas se avolumem.

– Evitar problemas cardíacos: quase ninguém sabe, mas as bactérias do tártaro dental podem atacar o coração. A endocardite bacteriana, um tipo de problema cardiológico decorrente de processos infecciosos, pode ter origem na cavidade oral e causar a proliferação de bactérias nocivas ao organismo.

Viu só como é importante ter um sorriso bonito e saudável? Ainda dá tempo de colocar esse objetivo na sua lista.

Agende já sua avaliação aqui na OIRS!

Halitose

A capacidade de perceber e avaliar a qualidade e intensidade do próprio hálito é um assunto de grande interesse. Muitas pessoas apresentam mau hálito durante anos sem nunca terem consciência disso, enquanto outras queixam-se de mau hálito sem na verdade possuí­-lo. A dificuldade de avaliação do próprio hálito é frequentemente atribuí­da ao processo de adaptação dos receptores olfativos (Spouge, 1964; Iwakura et al., 1994; Rosemberg e Leib (1995) apesar de não existirem evidências que suportem essa afirmação. Segundo Oho et al. (2001) e Eli et al., (2001), a autoavaliação do hálito está mais relacionada com a autoimagem do corpo e com o perfil psicológico do indiví­duo do que com a presença de parâmetros objetivos.

Fonte:

AUTOAVALIAÇÃO DA HALITOSE E SEU IMPACTO NA QUALIDADE DE VIDA DE INDIVÍDUOS OBESOS E SUBMETIDOS À CIRURGIA BARIÁTRICA

Ana Carolina Dupim Souza1, Carolina Ferreira Franco1, André Luiz Pataro2, Fernando de Oliveira Costa3, José Eustáquio da Costa3

Revista da Sociedade Brasileira de Periodontia – V.19- N.3 – Setembro de 2009

Â

Qual a relação do estômago com o mau hálito?

O estômago há tempos vem tomando a responsabilidade de muitos casos de mau hálito.
No entanto, os estudos científicos desmentem isso e relacionam 90% das causas de halitose a problemas bucais.
O único caso relacionado ao estômago são pessoas portadoras de refluxo gastro-esofágico.

A Odontologia Integrada RS, clínica odontológica em Porto Alegre – RS oferece atendimento especializado na área de Halitose/Periodontia.

Agende sua avaliação: 51- 3221-9565

Auto-estima e saúde bucal

auto estima
Dentes tortos, estragados, as faltas de dentes, além do mau hálito podem desencadear muito sofrimento, vergonha e constrangimento para a maioria das pessoas, resultando em falta de vontade para sorrir.
Esses sentimentos favorecem velhas desculpas para se adiar a ida ao dentista: medo e falta de tempo. Quem tem vergonha sente mais receio e, convenientemente, nunca arranja tempo.

Pessoas que sofrem com o mau hálito frequentemente enfrentam problemas de baixa auto-estima. Sabe-se que mais de 90% dos casos de halitose decorrem de problemas bucais e menos de 10% dos casos estão relacionados a problemas digestivos. Dentes tortos, quebrados ou com restaurações malfeitas podem acumular placa bacteriana e gerar odores desagradáveis, assim como inflamações, como gengivite e periodontite. A lí­ngua também pode ser responsável por grande parte deste problema, pois ela é recoberta por um tecido esponjoso que acumula restos alimentares e bactérias.
Dentes tortos e desalinhados também são responsáveis pela falta de vontade de sorrir. Atualmente os aparelhos ortodônticos são muito procurados por motivos estéticos.

Já as próteses dentárias, facetas ou laminados de porcelana, as restaurações estéticas e os implantes dentários surgiram como soluções para diversos problemas estéticos, pois são materiais resistentes, confortáveis, duradouros e com aparência extremamente natural.

Mas prevenir é sempre a maneira mais econômica e menos dolorida de se cuidar da saúde bucal. Escovar os dentes corretamente e passar fio-dental continua sendo a melhor maneira de evitar problemas.

×
Olá! Como podemos ajudá-lo?
Entre em contato diretamente pelo WhatsApp clicando no botão abaixo ou pelo (51) 99214-9690.